Contate-nos:

contato@alkimystika.com.br



Conheça nosso shopping on line com artigos esotéricos e fitoterápicos, masi de mil produtos:
www.alkimystika.com.br

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

O que é terapia de vidas passadas?



É um conjunto de procedimentos terapêuticos que atua no psiquismo do paciente, para alcançar e tratar situações/vivências passadas que se encontram ressoando no campo, causando desequilíbrios, distúrbios 
de ordem pessoal, interpessoal, transpessoal, psíquica, anímica, comportamental e física.

Com a utilização da TVP, acessamos os registros de memórias que encontram-se gravados no subconsciente e inconsciente do paciente. Com isto, a causa geradora de diversos distúrbios são tratadas e ajustadas, passando a não mais reverberar sobre a consciência atual.

A abordagem terapêutica tem como hipótese fundamental a realidade do renascimento e ascensão de vidas passadas, as quais bloqueiam o ser na vida atual.
Tem excelentes resultados, traz explicação de sintomas e problemas que vivenciamos na vida atual, que muitas vezes o ser em questão acredita não ter explicação.

A TVP é realizada por um terapeuta, sem hipnose, momento em que o paciente acessa conscientemente estes registros e resignifica os mesmos. Com a cooperação e aceitação do paciente o tratamento apresenta-se como ferramental importantíssimo no processo de conscientização, possibilitando terapeuticamente o tratamento da queixas.

Para pacientes que apresentam dificuldades de acessar os registros, seja por ser demasiadamente mental ou ansioso(a), ou por não conseguirem dinamizar essa energia, qualificar ou manejar de forma positiva, utilizamos a Captação Psíquica, quebrando desta forma os padrões aprisionadores da psique e as cristalizações que se fixam e influenciam crenças limitantes.


* O objetivo da TVP é terapêutico, não curiosidade
* Ninguém fica preso ao passado ou numa vida passada
* Ao contrario do que alguns leigos afirmam, lembrar de experiencias negativas com nossos familiares, não dificulta nossa convivência atual com eles. A convivência melhora, pois foi feito trabalho de perdão e ascensão.





Namastê!
visite nossa loja virtual,
mais de mil artigos esotéricos:
www.alkimystika.com.br





Pirâmide de Miquerinos (Men-kau-rá)




O fundador a terceira pirâmide é o rei Miquerinos ou (Men-Kaw-Rá) quem subiu ao trono depois da morte de Quéfren. governou o país por cerca de 21 anos. É a menor pirâmide entre as três pirâmides de Guiza em termos de tamanho e altura, pois tem apenas 66.5 m. de altura, e cada lado da sua base quadrada mede 108.5 m. de comprimento. Apenas o meio da fachada da pirâmide está coberto de uma camada exterior de granito e não de pedra calcária como nas outras duas Pirâmides de Guiza. Parece que o complexo sepulcral de Men-Kaw-Rá foi deixado incompleto por causa da morte do rei e portanto o seu sucessor e filho Shepseskaf completou as obras de construção mas infelizmente com elementos de adobes. O Templo do Vale foi construído basicamente de adobes ou barro excepto umas partes especiais como as colunas, linteis  e partes dos corredores. Dentro deste templo quatro tríades de estátuas foram achadas, cada uma representa o rei Men-kaw-Rá (Mequerinos) com acompanhado pela deusa Hathor e uma deusa local que simboliza a um nomo ou província do Egito Antigo. Atualmente três tríades estão expostas no Museu Egípcio do Cairo, enquanto a quarta tríade está exposta no Museo de Artes Finas de Boston nos Estados Unidos. É curioso mencionar que apesar de que a pirâmide de Miquerinos foi saqueada tal como as outras pirâmides do Egito  o Egiptólogo Perring achou em 1839 um sarcófago de madeira, partes de uma múmia, e outro sarcófago de bazalto, mas infelizmente o navio que trasladava esses objetos a Inglaterra afundo ao largo da costa meridional de Espanha.
                

A Pirâmide de Quéfren (kha-f-rá)


Na realidade, o núcleo da pirâmide é um rochedo, isto significa que a pirâmide foi construída sobre uma base sólida de rochas. A pirâmide de Quéops foi construída de pedras calcárias locais da mesma planície, revestida por fora de uma camada de pedras calcárias lisas procedidas da região de Tura ( no sul do Cairo atual ). A fachada externa da pirâmide -conforme o historiador grego Herodoto estava coberta com gravuras e inscrições hieroglíficas, mas, infelizmente esta cama externa desapareceu por distintas razões. Diz-se que as pedras polidas da camada externa das Pirâmides de Guiza eram exploradas como uma pedreira que forneciam pedras a partir do século XIII d.C, e outra vez eram usados para construir edifícios, palácios, mansões, casas, muralhas, aquedutos etc.

Os quatro lados da pirâmide correspondem relativamente com os quatro pontos cardiais. A entrada original encontra-se no lado setentrional no curso XIII, e neste sentido é curioso mencionar que a entrada atual não é a original mas foi aberta no século IX por abaixo da entrada original, situada no curso VI da pirâmide. Foi feita durante o reinado do Califa Al Mamoun (filho do grande califa Haroun Al Rashid) quando havia uma revolta no Egito contra o seu poder, por isso o califa próprio veio para o Egito  e durante sua estadia lhe avisaram que a Pirâmide de Quéops tivesse um tesouro guardado no interior da pirâmide, quiseram entrar a pirâmide  mas não conseguiram achar a entrada original, portanto fizeram uma abertura no curso VI da fachada setentrional, que é a atual entrada usada pelos visitantes, e esta abertura é conhecida hoje em dia como a Entrada do Al Mamoun.

A entrada dirige a um corredor descendente escavado no núcleo 

rochoso da pirâmide e termina pela primeira câmara do morto, que foi deixada inacabada, provavelmente segundo o primeiro plano da construção foi dedicada para receber a múmia do rei, mas quando se alterou o plano e outra câmara foi escavada no corpo próprio da pirâmide conhecida erradamente como a “Câmara da Rainha !” , mas com certeza foi dedicada também para conter o sarcófago do rei, esta segunda câmara mortuária está acessível por um corredor ascendente, mas também foi deixada inacabada. Enfim o arquitecto decidiu realizar a última modificação por construir a terceira câmara mortuária dedicada para receber o sarcófago do rei, esta câmara completa conhecida como A Câmara do Rei está acessível por uma Grande Galeria, pois uma abertura foi feita no tecto do corredor ascendente que dirige a essa Grande Galeria cujo tecto tem 8 m. de altura. A Grande Galeria dirige a outra passagem horizontal que termina por uma antecâmara e logo a câmara do rei. 

A câmara Mortuária do rei é o elemento mais importante na pirâmide. Foi recoberta inteiramente com blocos de granito, o teto consta de 9 lousas de granito rosado que pesam 400 toneladas. O sarcófago de granito rosado , colocado no lado oeste da câmara, foi achado vazio sem a múmia. Em cima da câmara do rei há cinco câmaras menores construídas, cada uma em cima da outra para aliviar a pressão do peso dos blocos sobre o tecto da câmara do rei. Dentro da Grande Pirâmide não há inscrições exceto uma única frase escrita na parte superior da Câmara do Rei, acredita-se que foi feita por um dos construtores da pirâmide. Ali está escrito apenas a seguinte frase “No ano XVII do reinado de Quéops (Khufu)”.     

De verdade, ainda o homem olha para as Pirâmides encantado pela sua grandeza e beleza, pensando como se construíram essas estruturas magníficas. Claro que ainda há alguns segredos sobre a maneira de construção deste grande monumento maravilhoso, mas segundo as abras dos antigos escritores e historiadores clássicos, sobretudo os gregos e os romanos sabemos que as Pirâmides foram erigidas conforme umas umas certas fases, o primeiro passo era a escolha do local, pois deve ser um lugar elevado, na margem oeste do Nilo, perto de uma pedreira local, depois, os blocos de pedra eram trasladados por meio de equipamentos e meios primitivos e uma capacidade extraordinária de organizar e usar milhares de trabalhadores. O historiador grego Herodoto quem viveu no Egito durante o século V a.C escreveu que a Pirâmide de Quéops foi construída dentro de 20 anos, e 100000 (cem mil) trabalhadores eram usados em cortar e transferir as pedras e também nas fases diferentes das obras de construção, e aqueles eram substituídos por outros cada três meses !!. Segundo os dados oferecido pelo historiador Diodoro sabemos que a Pirâmide de Quéops foi construída por meio de rampas e terraplanagens.

A luz das hipóteses recentes  acredita-se que, no início, um local adequado era escolhido, era de preferência uma base rochada, perto de uma pedreira local, elevado, e perto da margem do rio Nilo. Logo, havia obras de medição por meio de cordéis de linho e fibras de palmeiras. Os blocos de pedra eram carregados e colocados consecutivamente de baixo para cima através de construir rampas e terraplanagens em forma redonda ou ziguezagueada em torno da estrutura dos quatro lados da pirâmide, e ao acabar todas as obras de construção essas rampas de escombros e barro foram demolidas. Enfim a pirâmide foi revestida de uma camada polida de pedras calcárias brancas. Usavam-se barcas para trasladar as pedras calcárias suaves e lisas procedidas das pedreiras de Turah e as pedras de granito provenientes de Assuão ( 1000 km de Guiza), enquanto usavam trenos para trasladar os blocos ao sítio próprio da Pirâmide.

          
                                                          Câmara do rei dentro da Pirâmide de Quéops

O complexo de Quéops contem o templo do vale que ainda está enterrado sob as casas da vila atual de "Nazlet El Saman". Além disso existe o templo mortuário que está atualmente em ruínas, situado no lado oriental da pirâmide cujo chão é de Bazalto, e a rampa ascendente que liga entre os dois templos. Em torno da Grande Pirâmide há cinco covas de barcas mortuárias conhecidas como " as Barcas solares". Em uma delas, em 1954, por acaso, uma barca de madeira foi achada desmantelada e intacta. Essa grande barca de 43 m. de comprimento foi remontada e está exposta atualmente num museu no lado meridional da pirâmide.


No lado leste da pirâmide de Quéops encontram-se as pirâmides pequenas ou subsidiárias, a primeira ou seja a setentrional é atribuída à consorte principal do rei Quéops “Merytites”, atualmente está com 6 m. de altura. A pirâmide central pertence - segundo os recentes estudos- a uma das esposas secundárias do soberano egípcio, apesar de que o grego historiador Herodoto a atribuiu à filha do rei !! criando uma história excêntrica sobre o comportamento pessoal dessa filha !! A terceira pequena pirâmide é relativamente maior do que as outras, tem atualmente 11m. de altura, pertence à esposa secundária do rei “ Henutessen”. 

A Pirâmide de Quéops ( Khufu)




De verdade, ficamos sempre maravilhados diante da grandeza das pirâmides do Egito  sobretudo as pirâmides mais celebres do mundo, as de Guiza (Gizé) que pertencem todas à dinastia IV (2680-2650 a.C aprox.), são as de Quéops, Quéfren, e Miquerinos. Foram construídas sobre o plató de Guiza quando a margem do Nilo chegava naquela época mais perta da planície do que atualmente.   
   
  

A pirâmide de Quéops é uma das Sete Maravilhas Antigas do Mundo, ao mesmo tempo é a mais completa e perfeita no Antigo Egito  chama-se também a Grande Pirâmide de Guiza. Foi construída como um túmulo gigantesco para o grande rei Quéops sob a supervisão do vizir Hemnu. É, sem dúvida, a maior construção erigida pelo homem que ainda permanece em pé por cerca de 5000 anos. Situada na margem oeste do rio Nilo sobre o plató de Guiza que tem originalmente 50 m. de altura, juntamente com as pirâmides de Quéfren e Miquerinos. O tamanho desta Pirâmide é incomparável, pois ocupa uma área de 52611 metros quadrados, quase 13.1 acres. Supostamente que a sua área ocupada pela base quadrada da pirâmide consegue compreender as áreas das atuais catedrais de Ferenze, Milão, Santo pedro em Roma, e Westminster. Cada lado da base quadrada mede originalmente 230 m. de comprimento, atualmente alcance 228 m de comprimento. Também tinha originalmente 148 m. de altura, mas agora tem apenas 137 m. devido a queda da camada polida externa que cobria as faces da pirâmide. Além disso, se inclina segundo um ângulo de 51.52.29 graus. A grande pirâmide contém cerca de 2,300,000 blocos de pedras calcárias, cada um se oscila entre 2.5 e 15 toneladas de peso. 

Alguns matemáticos supuseram que se conseguissem cortar os blocos de pedra desta pirâmide em unidades menores, e cada uma mede apenas um pé cúbico ( quase 33 centímetros ), formando delas uma linha estendida em direção direta, então iria terminar a dois terços de distância da circunferência da terra perto do Equador. Diz-se que o celebre General e imperador francês Napoleão Bonaparte calculou que houvesse possibilidade de construir pelas pedras da Grande Pirâmide um muro gigantesco em torno da França que mede 3 m. de altura e 1 m. de espessura !


               

                     o corredor ascendente dentro da Pirâmide de Quéops


Na realidade, o núcleo da pirâmide é um rochedo, isto significa que a pirâmide foi construída sobre uma base sólida de rochas. A pirâmide de Quéops foi construída de pedras calcárias locais da mesma planície, revestida por fora de uma camada de pedras calcárias lisas procedidas da região de Tura ( no sul do Cairo atual ). A fachada externa da pirâmide -conforme o historiador grego Herodoto- estava coberta com gravuras e inscrições hieroglíficas, mas, infelizmente esta cama externa desapareceu por distintas razões. Diz-se que as pedras polidas da camada externa das Pirâmides de Guiza eram exploradas como uma pedreira que forneciam pedras a partir do século XIII d.C, e outra vez eram usados para construir edifícios, palácios, mansões, casas, muralhas, aquedutos etc.

Os quatro lados da pirâmide correspondem relativamente com os quatro pontos cardiais. A entrada original encontra-se no lado setentrional no curso XIII, e neste sentido é curioso mencionar que a entrada atual não é a original mas foi aberta no século IX por abaixo da entrada original, situada no curso VI da pirâmide. Foi feita durante o reinado do Califa Al Mamoun (filho do grande califa Haroun Al Rashid) quando havia uma revolta no Egito contra o seu poder, por isso o califa próprio veio para o Egito  e durante sua estadia lhe avisaram que a Pirâmide de Quéops tivesse um tesouro guardado no interior da pirâmide, quiseram entrar a pirâmide  mas não conseguiram achar a entrada original, portanto fizeram uma abertura no curso VI da fachada setentrional, que é a atual entrada usada pelos visitantes, e esta abertura é conhecida hoje em dia como a Entrada do Al Mamoun.

A entrada dirige a um corredor descendente escavado no núcleo 

rochoso da pirâmide e termina pela primeira câmara do morto, que foi deixada inacabada, provavelmente segundo o primeiro plano da construção foi dedicada para receber a múmia do rei, mas quando se alterou o plano e outra câmara foi escavada no corpo próprio da pirâmide conhecida erradamente como a “Câmara da Rainha !” , mas com certeza foi dedicada também para conter o sarcófago do rei, esta segunda câmara mortuária está acessível por um corredor ascendente, mas também foi deixada inacabada. Enfim o arquitecto decidiu realizar a última modificação por construir a terceira câmara mortuária dedicada para receber o sarcófago do rei, esta câmara completa conhecida como A Câmara do Rei está acessível por uma Grande Galeria, pois uma abertura foi feita no tecto do corredor ascendente que dirige a essa Grande Galeria cujo tecto tem 8 m. de altura. A Grande Galeria dirige a outra passagem horizontal que termina por uma antecâmara e logo a câmara do rei. 

A câmara Mortuária do rei é o elemento mais importante na pirâmide. Foi recoberta inteiramente com blocos de granito, o teto consta de 9 lousas de granito rosado que pesam 400 toneladas. O sarcófago de granito rosado , colocado no lado oeste da câmara, foi achado vazio sem a múmia. Em cima da câmara do rei há cinco câmaras menores construídas, cada uma em cima da outra para aliviar a pressão do peso dos blocos sobre o tecto da câmara do rei. Dentro da Grande Pirâmide não há inscrições exeto uma única frase escrita na parte superior da Câmara do Rei, acredita-se que foi feita por um dos construtores da pirâmide. Ali está escrito apenas a seguinte frase “No ano XVII do reinado de Quéops (Khufu)”.     

De verdade, ainda o homem olha para as Pirâmides encantado pela sua grandeza e beleza, pensando como se construíram essas estruturas magníficas. Claro que ainda há alguns segredos sobre a maneira de construção deste grande monumento maravilhoso, mas segundo as abras dos antigos escritores e historiadores clássicos, sobretudo os gregos e os romanos sabemos que as Pirâmides foram erigidas conforme umas umas certas fases, o primeiro passo era a escolha do local, pois deve ser um lugar elevado, na margem oeste do Nilo, perto de uma pedreira local, depois, os blocos de pedra eram trasladados por meio de equipamentos e meios primitivos e uma capacidade extraordinária de organizar e usar milhares de trabalhadores. O historiador grego Herodoto quem viveu no Egito durante o século V a.C escreveu que a Pirâmide de Quéops foi construída dentro de 20 anos, e 100000 (cem mil) trabalhadores eram usados em cortar e transferir as pedras e também nas fases diferentes das obras de construção, e aqueles eram substituídos por outros cada três meses !!. Segundo os dados oferecido pelo historiador Diodoro sabemos que a Pirâmide de Quéops foi construída por meio de rampas e terraplanagens.

A luz das hipóteses recentes  acredita-se que, no início, um local adequado era escolhido, era de preferência uma base rochada, perto de uma pedreira local, elevado, e perto da margem do rio Nilo. Logo, havia obras de medição por meio de cordéis de linho e fibras de palmeiras. Os blocos de pedra eram carregados e colocados consecutivamente de baixo para cima através de construir rampas e terraplanagens em forma redonda ou ziguezagueada em torno da estrutura dos quatro lados da pirâmide, e ao acabar todas as obras de construção essas rampas de escombros e barro foram demolidas. Enfim a pirâmide foi revestida de uma camada polida de pedras calcárias brancas. Usavam-se barcas para trasladar as pedras calcárias suaves e lisas procedidas das pedreiras de Turah e as pedras de granito provenientes de Assuão ( 1000 km de Guiza), enquanto usavam trenos para trasladar os blocos ao sítio próprio da Pirâmide.

          
                                                          Câmara do rei dentro da Pirâmide de Quéops

O complexo de Quéops contem o templo do vale que ainda está enterrado sob as casas da vila atual de "Nazlet El Saman". Além disso existe o templo mortuário que está atualmente em ruínas, situado no lado oriental da pirâmide cujo chão é de Bazalto, e a rampa ascendente que liga entre os dois templos. Em torno da Grande Pirâmide há cinco covas de barcas mortuárias conhecidas como " as Barcas solares". Em uma delas, em 1954, por acaso, uma barca de madeira foi achada desmantelada e intacta. Essa grande barca de 43 m. de comprimento foi remontada e está exposta atualmente num museu no lado meridional da pirâmide.


No lado leste da pirâmide de Quéops encontram-se as pirâmides pequenas ou subsidiárias, a primeira ou seja a setentrional é atribuída à consorte principal do rei Quéops “Merytites”, atualmente está com 6 m. de altura. A pirâmide central pertence - segundo os recentes estudos- a uma das esposas secundárias do soberano egípcio, apesar de que o grego historiador Herodoto a atribuiu à filha do rei !! criando uma história excêntrica sobre o comportamento pessoal dessa filha !! A terceira pequena pirâmide é relativamente maior do que as outras, tem atualmente 11m. de altura, pertence à esposa secundária do rei “ Henutessen”. 

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

O Evangelho de Jesus e Os Sete Princípios







A Huna é uma sabedoria muito antiga da Polinésia e muitos dizem que foi formulada por sábios de Mu, observadores cuidadosos de Deus, do Homem e da Natureza. O mesmo conhecimento tem sido encontra


do em diferentes épocas e lugares, inclusive no Evangelho de Jesus de Nazaré.

A seguir, uma relação dos sete princípios da Huna, cada um deles seguido dos dizeres de Jesus que ensinam a mesma coisa que a Psicofilosofia da Polinésia. As traduções para o Inglês são da versão da Bíblia King James, exceto algumas que são da “Amplified Version” (AV). Na tradução para o Português foi utilizada a Bíblia de Jerusalém.




O mundo é o que você pensa que é.




A partir desse momento começou Jesus a pregar e a dizer:
”Convertei-vos, porque está próximo o Reino dos Céus”. (Mat. 4:17).

“Vai, assim como creste, assim te seja feito”. (Mat. 8:13).

“Jesus voltando e vendo-a disse: “Ânimo minha filha, a tua fé te curou”. (Mat. 9:22).

“E tudo que pedires com fé, em oração, vós o recebereis”. (Mat. 21:22)

“Minha filha, a tua fé te curou; vai em paz e fica curada desse teu mal”. (Marc. 5:34).

Por isso vos digo:
”Tudo quanto suplicardes e pedires crede que recebestes, e assim será para vós”. (Marc. 11:24).

“Todo aquele que não tiver dúvidas em seu coração, mas acreditar que as coisas que disse passarão, ele terá tudo o que disse”. (Marc. 11:23).

“Em verdade vos digo, se alguém disser a este monte: ergue-te e lança-te ao mar, e não duvidar no coração, mas crer que o que diz se realiza, assim lhe acontecerá”. (Marc. 11:23).

Ele, porém disse à mulher:
“Tua fé te salvou, vai em paz”. (Lucas 7:50).

Ele disse:
“Minha filha, tua fé te curou, vai em paz”. (Lucas 8:48).




Não existem limites




“Não sejais como eles, porque o Vosso Pai sabe do que tendes necessidade antes de lho pedirdes”. (Mat. 6:8)

“Pois, se perdoardes aos homens os seus delitos, também o Vosso Pai Celeste vos perdoará”. (Mat. 6:14).

“Pedi e vos será dado; buscai e achareis; batei e vos será aberto”. (Mat. 7:7)

“Pois em verdade vos digo: se tiverdes fé do tamanho de um grão de mostarda e disseres a este monte:Transporta-te daqui pra lá e ele se transportará, e nada vos será impossível." (Mateus 17,20)

"Tudo quanto ligardes na terra será ligado no céu e tudo quanto desligardes na Terra será desligado no céu".(Mat 18, 18)

"Se tu podes?...Tudo é possível para aquele que crê"! (Marc 9, 23)

"Com Deus todas as coisas são possíveis". (Marc12, 27)




A energia segue o curso do pensamento




"Pois onde está o teu tesouro aí estará também o seu coração". (Mat 6:21)

"Tudo aquilo portanto, que quereis que os homens vos façam,fazei-o vós a eles. Porque isso é a Lei e os Profetas".(Mat7:12)

"Pois aquele que tem lhe será dado, e dado em abundância,mas ao que não tem, mesmo o que tem lhe será tirado".(Mat13,12)

"Pois onde está o vosso tesouro aí estara também o vosso coração".(Lucas 12:34)




Aqui/Agora é o momento de poder!




"Não vos preocupeis portanto com o dia de amanhã,pois o dia de amanhã se preocupará consigo mesmo. A cada dia basta o seu mal". (Mat6:14)

"Proclamai que o Reino dos Céus está próximo".(Mat 10:17)

Diante disso Jesus lhe disse: Mulher grande é a tua fé!Seja feito como queres"! E a partir daquele momento sua filha ficou curada.(Mat 15:28)

reconheceu então o pai ser precisamente aquela hora em que Jesus lhe dissera:" O teu filho vive"; e acreditou ele e todos de sua casa. (4:53)




Amar é compartilhar com...




"Bem-aventurados os pobres de espírito porque deles é o Reino dos Céus.
Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a Terra. Bem-aventurados os aflitos,porque serão consolados.Bem-aventurados os que tem fome e sede de justiça,porque serão saciados.
Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançaram misericórdia.
Bem-aventurados os puros de coração porque verão a Deus.
Bem-aventurados os que promovem a paz,porque serão chamados filhos de Deus.
Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino do Céus.
Bem-aventurados sois quando vos injuriarem,e vos perseguirem e mentindo disserem todo o mal quanto a vós por causa de Mim.
Alegrai-vos e regozijai-vos porque será grande a vossa recompensa nos céus pois foi assim que perseguiram os profetas que vieram antes de vós".(Mat 5:3-12)

Eu porém vos digo:" Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem".(Mat5:14)

Dou-vos um novo mandamento:"Que vos ameis uns aos outros". (Jo 13:34)




Todo o poder vem do seu interior!




"Ouvi e entendei! Não é o que entra pela boca que torna o homem impuro, mas o que sai da boca, isto sim o torna impuro"! (Mat15:11)

"Nada há no exterior do homem que, penetrando nele o possa tornar impuro;mas o que sai do homem isso é o que o torna impuro".(Marc 7:15)

"Com efeito é de dentro do coração dos homens que saem as intenções malignas".(Marc 7:21)

"Não se poderá dizer: Ei-lo aqui! Ei-lo ali! Pois eis que o Reino dos Céus está dentro de vós". (Lucas 17,21).




A Eficácia é a medida da verdade




"Produzi então o fruto que prove a vossa conversão". (Mat 3-8)

"Vós sois o sla da Terra. Ora se o sal se tornar insosso com o que slagaremos?Para nada mais serve, senão para ser lançado fora e pisado pelos homens".(Mat5:13)

"Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade situada sobre um monte.
Nem se acende uma lâmpada e se coloca debaixo do alqueire, mas no candelabro, assim ela brilha para todos que estão na casa". (Mat5:14-15)

"Guardai-vos dos falsos profetas que vem a vos disfarçados de ovelhas, mas por dentro são lobos ferozes. Pelos seus frutos os conhecereis. Por acaso colhem-se uvas dos espinheiros ou figos dos cardos?"(Mat 7:15-16)

"O homem bom do teu tesouro tira o bem, mas o homem mau, de seu mau tesouro tira o mal".(Mat 12:35)

Ponde-se de pé conjurou severamente os ventos e o mar. E houve uma grande bonança. E os homens ficaram espantados e diziam:
"Que homem é este que até os ventos e o mar lhe obedecem?"(Mat 8:26-27)

"Cuidado com o que ouvis!Com a medida que medis sereis medidos e vos será acrescentado ainda mais." (Marc4:24)

"Pois ao que tem será dado, e ao que não tem mesmo o que tem lhe será tirado". (Marc 4:25)

"Pois onde está o vosso tesouro aí estará também o vosso coração".(Lucas 12:34)




Jesus passou parte de sua adolescencia e a juventude com os chamados 'essenios', que sabiam os segredos. Em um livro: Jesus cristo viveu na Índia' onde se propõe esta idéia (de ele ter sobrevivido) está descrita a cura das feridas através de ervas que José de Arimatéia e os essenios conheciam.
Pode muito bem ser feito a base de KI.




KI

Ki em havaiano significa emitir um feixe de pensamentos, enviar pensamentos, pode também ser traduzido como força.


Sim acredito que as curas que Jesus fazia eram através dessa transmissão de energia. Ele captava a energia do Cosmo e transmiti-a através das mãos, da imposição das mãos, como o nosso Reiki atual.









Aloha!

visite nossa loja virtual,
mais de mil artigos esotéricos:
www.alkimystika.com.br

Origens Xamânicas do Surf





Há registros de que as primeiras ocorrências conhecidas do surf estão ligados à antiga tradição havaiana dos Kahunas, porém há um pensamento controverso de que o surf poderia ser originado no Peru, na Ilha de Uros.

Alguns velhos nativos do Havaí acreditam que seus ancestrais seriam descendentes dos Incas. A prática era chamada pelos polinésios de "He'e Nalu" (deslizar sobre as ondas) uma celebração permanente de adoração ao Oceano.


He'e : templo, Lugar Santo Nalu : onda, meditação / "Na": paz, serenidade

Nalu indica a interação com as ondas, que através do equilíbrio interior encontrar o equilíbrio exterior e as divindades, que se expressam nas erupções vulcânicas (Principalmente a Deusa Pele), ciclones, marés fortes. 
O "He'e Nalu" é uma invocação que faz o mundo um heiau "(um templo, um lugar sagrado) que reúne os" Manas "(energia vital) para alimentar a aumakuas" (centelha divina)


Os Kahunas acreditavam que a energia Mana ( energia vital ) é recebida do céu através da prece. Deveria-se rezar constantemente e enviar preces para Aumakua, o espírito guardião do passado. 
O Aumakua vivendo no céu, olha por sua criança da Terra e intercede através do seu Divino poder espiritual.

Iniciava-se com a escolha da árvore para ser transformada em prancha. O "kahuna", invocava os espíritos escolhia uma árvore onde percebia o "mana" entoando canções de poder honrando e pedindo perdão ao espírito da árvore pelo sacrifício. 
Com um machado de pedra abria-se um buraco entre as raízes para ser colocada uma oferenda (peixe) e orava-se para os Deuses

Conta-se que além da cerimônia religiosa de corte da madeira, também havia uma cerimônia para a confecção das pranchas e acabamento, feito pelos mestres artesão. 
Para escurecer e dar brilho a madeira era usada a planta TI e óleo de nozes. Seu nome científico é Cordyline Terminalis . 
Entre suas varias cores, as mais comuns são a vermelha e verde. 
Ti, como é conhecido nas ilhas, e uma das plantas típicas do arquipélago havaiano. Faz parte da vida e da cultura do povo. No Brasil, e encontrada nos jardins como planta ornamental.


No passado, os havaianos usavam as folhas de Ti para cobertura e construção das rústicas cabanas. 
Nas oferendas aos deuses, costume que se pratica nos dias atuais , o Ti envolve pedras vulcânicas, frutas etc., deixadas pelos nativos nos templos (Heiau) em presentes oferecidos a Deusa Pele, no vulcão Kilauea. 
Os Kahunas, utilizavam as folhas de Ti em rituais de magia e banhos de purificação que serviam para afastar entidades astrais inferiores. Atribuíam ao Ti o poder de proteger contra influências espirituais negativas. A planta ainda e usada em cerimônias para livrar dos ataques de magia negra.


Os kahunas (xamãs) eram solicitados para invocarem as ondas do mar, através de cânticos. 
Contam-se casos em que as invocações produziam altas ondas. 
Parece inexplicável como os antigos polinésios navegavam milhares de extensões através do oceano com canoas sem nenhuma aparelhagem, se não acreditarmos nessa especial conexão deles com seus espíritos. 
Eles não tinham um estudo minucioso das ondas ou do tempo, interpretavam intuitivamente. 
Os polinésios cantavam quando viam as altas ondas o pohuehue. 
Se as ondas estavam muito baixas eles vibravam folhas de pohuehue, batendo nas águas, para atrairem as ondas.
Eles usaram a mesma técnica para evocar condições de oceano perigoso para matar seus inimigos em canoas.

Pohuehue (Ipomoea pes-caprae - Morning Glory - encontrada nas praias de Santa Catarina, conhecida como salsa-da-praia, cipó-da-praia ), cresce ao longo das prais e dunas de areia até 16 metros de comprimento, acima da linha dágua e absorve a agua salgada. 
As folhas têm a forma de coração invertido. As floreses tendem a abrir pela manhã. 
A planta é usada em rituais afro-brasileiros de iniciação. As folhas, maceradas são usadas para berber e tomar banhos. 
Nos tempos antigos, os surfistas, balançavam as videiras em torno de suas cabeças e traziam para baixo com força na água e cantavam para as grandes ondas se levantarem. 
Em pequenas quantidades as raizes eram usadas como alimento e como ingrediente em preparações para pessoas com problemas pulmonares, entorses e para limpar o sangue. 
Brotos eram comidos por mulheres grávidas e as hastes eram batidas nos seios de mulheres que acabavam de dar a luz. 
A seiva era a ajuda do Deus Ku e Deusa Hina para aumentar o leite materno.


Havia uma grande relação com o oceano, por si só uma enorme fonte de "mana". O fato de estar imerso nele já propiciava um bem-estar ao corpo e à alma do surfista. 
O Ali'i, ou chefe do povo havaiano, possuía suas orações e pranchas especiais, de maneiras especiais. Também ia a praias privadas onde surfavam apenas com pessoas do seu mesmo grau. 
Eles tinham excelente forma física e conheciam os ritos religiosos e cânticos tradicionais e canalizavam a maioria das canções.
Os cânticos tinham a ver com surf e efeitos físicos e metafísicos s na mente e corpo. Eles inspiravam o surfar na vida social e espiritual dos antigos praticantes havaiano.

Nos primórdios o surf no Havaí era um acontecimento profundamente espiritual, a arte de deslizar nas ondas, a rezar para surfar bem, Para os havaianos, o surf era uma coisa sagrada e envoltos numa complexa rede de obrigação e tabu (kapu). 
Havia competições individuais de habilidade nos grandes festivais religiosos, como a Lono Makahiki ( festival de quatro meses) que celebravam plantas cultivadas, alimentos, a desova dos peixes, e fertilidade em geral

Através de petroglifos de surfistas, esculpido na paisagem de pedras vulcânicas, e cânticos que contam as histórias dos grandes feitos surf, ao longo das gerações, alguns acreditam que o surf pode ter começado muito antes da cultura polinésia.

O sistema Kapu também determinou como, porquê e com que materiais deveriam ser feitas pranchas. Conta-se que após a chegada do homem branco (Capitão Cook), final do séc.XVIII, a cultura foi desmantelada. 
Chegaram os missionários, colonizadores, comerciantes um número crescente de estrangeiros, exploradores interessados em terras que só desrespeitavam as antigas tradições.
Até o início do séc. XIX, o surf estava se extinguindo, voltando à popularidade no final do séc.XX

Surf não era apenas um ato religioso e passatempo para velhos líderes, servia como um exercício destinado a manter os chefes em condição física superior e como um sistema de resolução de conflitos.Através do surf as pessoas alcançavam adquiriam um status. 
Os surfistas renomados desfrutaram privilégios especiais em reuniões

Na prática pode-se aprender a mergulhar ao eu, a seguir o fluxo, ter a humildade e a confiança de se deixar levar. Aguça a intuição e a concentração, dá a coragem para vencer os limites do medo e do desconhecido, os sentidos ficam apurados.

Alguns praticantes afirmam que surfar é a coisa mais próxima de voar que o ser humano pode alcançar. 
Os momentos nunca se repetem, as ondas não são iguais, o movimento muda, o oceano dá as regras






















Aloha!


visite nossa loja virtual,
mais de mil artigos esotéricos:
www.alkimystika.com.br



Os Kahunas e sua Magia





Muito embora o que vamos relatar seja de esclarecimento recente ao mundo ocidental (início do século), a Huna é uma ciência com certeza mais antiga que os segredos Babilônicos e Egípcios.
A tradição nos traz as lendárias doze tribos que certa vez viveram no deserto do Saara, quando este, ainda era uma terra fértil e cortada de rios.

Após vários séculos os rios secaram e as tribos por razão de subsistência mudaram para o vale do Nilo, uma vez lá, vieram a embriagar todos os outros povos com sua magia.
Previsto um longo período de escuridão intelectual onde o "Segredo" corria o risco de se perder, as tribos decidiram partir deixando que o tempo se incumbisse de preparar sua volta para o mundo.
Onze dessas tribos, após uma exploração psíquica, decidiram por viajar para o leste onde várias ilhas do Pacífico eram desabitadas.
Começaram sua jornada atravessando o mar Vermelho, dai ao longo da costa Africana ou India. Após vários anos os da décima segunda tribo por razão ainda não esclarecida, decidiram por voltar e ocupar a região onde hoje chamamos de Montanhas Atlas ao norte da África.
A história não reserva muitos detalhes sobre a viajem a não ser que prosseguiam com incrível determinação de terra para terra em grandes canoas duplas.
Em determinado momento foram encontradas as oito ilhas Havaianas, que rapidamente foram reconhecidas como a terra prometida de seus antepassados.

As equipes de exploração voltaram as ilhas mais próximas a fim de levar o restante das tribos que la permanecera para descanso.
Arvores, plantas e animais foram transportados subsequentemente a medida que as tribos iam se instalando no Havaí, um longo período de isolamento se seguiu.

As evidências sobre esta jornada cada vez mais se cristalizam na medida em que algumas palavras costumes e crenças são de fácil identificação seguindo uma mesma diretriz, estes casos se espalham desde o Pacífico até o Oriente próximo.

Madagascar também as possui indicando ter tido contato com algum povo de origem polinésica, até no Japão moderno são encontradas palavras e idéias polinésias.

Contudo faltava até pouco tempo atráz, um elo comprovatório sobre a real existência das doze tribos, e isto só foi possível quando um jornalista aposentado chamado Willian Reginald Stewart reconheceu no livro "RECUPERANDO A MAGIA ANTIGA ", publicado pela Rider & Co, em Londres no ano de 1936 uma série de palavras muito semelhantes as que ele próprio havia verificado em sua juventude quando por vários meses permaneceu na Bérbéria (Montanhas Atlas-Norte da Africa) acompanhando uma equipe de exploração de uma companhia petrolífera.

Durante sua estada, William ouvira falar muito sobre determinada tribo Bérbere e seus mágicos, e entrando de férias contratou um guia e partiu a procura da tal tribo.
Para sua sorte não só encontrou o acampamento como de cara "caiu nas graças" de seu lider religioso, porém só as custas de muita persuasão foi aceita sua permanência para que obtivesse o direito de aprender o "grande segredo".

Apesar da dificuldade com a língua, ja havia se passado alguns meses e William seguia firme em seu propósito e cada vez mais atraia a simpatia e interesse de Lucchi a líder religiosa que devotava boa parte de seu tempo em repassar seu conhecimento ao jovem Inglês.
A história e as bases filosóficas da religião ja haviam sido aprendidas e tudo corria bem, quando numa tarde confusa o acampamento foi invadido por dois outros grupos do vale abaixo causando várias mortes entre as quais Lucchi que fora alvejada de forma certeira no coração.

O inglês vendo-se impedido de concluir seu treinamento, recolheu seus pertences e anotações e voltou para Inglaterra.
Após 30 anos, impelido pela dúvida e a curiosidade que lhe acompanhara quase toda vida, voltou aquelas anotações que amareladas pelo tempo reservavam para o mundo uma comprovação de inestimável valia. Apenas como exemplo desta incrível comparação procedida por William, a palavra Havaina para "Kahuna" entre os Bérberes aparecia como "Quauna" o termo usado para mulher Kahuna é "wahini" contra "quahini" no dialeto Bérbere.
A palavra usada para Deus, nos dois idiomas são: "akua" e "atua". Além de uma longíqua similaridade física foram encontrados tambem ritos e costumes semelhantes.
O que na opinião de Max Freedom Long, o grande responsável pela difusão mundial da ciência Kahuna, comprova decididamente que os antepassados Kahunas habitaram o norte da África.








Aloha!
visite nossa loja virtual,
mais de mil artigos esotéricos:
www.alkimystika.com.br

HO’OPONOPONO



Quando sofremos com algum problema, seja ele um problema de relacionamento com outra pessoa, problema de saúde, ou quando a auto-estima está em baixa, quando nada parece dar certo, ou não ter solução em vista, o que continuam os fazendo?
Continuamos buscando soluções e respostas através da atividade da mente, da análise de experiências passadas, do conhecimento adquirido ou consultado, tudo isso é o intelecto querendo resolver os problemas.
Mas pelo Ho’oponopono compreendemos que o intelecto não dispõe dos recursos para resolver problemas, ele só pode manejá-los. E manejar não resolve problemas.

Ao fazer o Ho’oponopono você pede a Deus, a Divindade, para limpar, purificar a origem destes problemas, que são as recordações, as memórias se repetindo em sua Mente Subconsciente.
Você assim neutraliza a energia que você associa à determinada pessoa, lugar ou coisa.
No processo esta energia é libertada e transmutada em pura luz pela Divindade.
E dentro de você o espaço liberado é preenchido pela luz da Divindade.
Então, no Ho’oponopono não há culpa, não é necessário reviver sofrimento, não importa saber o porquê do problema, de quem é a culpa, ou sua origem.
A sua responsabilidade está em não permitir que o padrão se repita, gerando mais problemas, perpetuando a condição de sofrimento. Isso porque o ser humano só pode viver de duas maneiras: uma, pela programação adquirida, memórias se repetindo, a outra pelas inspirações, que são divinas.

No momento que você nota dentro de si algum incômodo em relação a uma pessoa, ou lugar, acontecimento ou coisa, inicie o processo de limpeza, peça a Deus:

“Divindade, limpe em mim as memórias que estão causando este problema.
Transmute-as em pura luz”

Então use as frases desta seqüência:
“Sinto muito. Me perdoe. Te amo. Sou grato.”
várias vezes, você pode destacar uma que lhe toca mais naquele momento e repeti-la.
Deixe sua intuição lhe guiar.

Quando você diz “Sinto muito” você reconhece que algo (não importa se saber o que) penetrou no seu sistema corpo/mente. Você quer o perdão interior pelo o que lhe trouxe aquilo.

Ao dizer “Me perdoe” você não está pedindo a Deus para te perdoar, você está pedindo a Deus para te ajudar se perdoar.

“Te amo” transmuta a energia bloqueada (que é o problema) em energia fluindo, religa você ao Divino.

“Sou grato” é a sua expressão de gratidão, sua fé que tudo será resolvido para o bem maior de todos envolvidos.

A partir deste momento o que acontece a seguir é determinado pela Divindade, você pode ser inspirado a tomar alguma ação, qualquer que seja, ou não.
Se continuar uma dúvida, continue o processo de limpeza e logo terás a resposta quando completamente limpo.

Lembre-se sempre que o que você vê de errado no próximo também existe em você, somos todos Um, portanto toda cura é auto cura.
Na medida em que você melhora o mundo também melhora.
Assuma esta responsabilidade.
Ninguém mais precisa fazer este processo, só você.

Aqui está a oração original da Kahuna Morrnah Simeona, criadora do Processo Ho’oponopono da Identidade Própria, oração simples e poderosa:


“Divino Criador, pai, mãe, filho em Um...

Se eu, minha família, meus parentes e ancestrais lhe ofendemos, à sua família, parentes e ancestrais em pensamentos, palavras, atos e ações do início da nossa criação até o presente, nós pedimos seu perdão...

Deixe isto limpar, purificar, libertar, cortar todas as recordações, bloqueios, energias e vibrações negativas e transmute estas energias indesejáveis em pura luz...

Assim está feito.”

Faça esta oração em relação a qualquer problema com qualquer pessoa; ao se fazer o apelo ao Divino Criador estamos nos dirigindo à divindade que existe dentro de todas as pessoas, que é a extensão do Divino Criador.




Só é necessário isso.




Aloha!

visite nossa loja virtual,
mais de mil artigos esotéricos:
www.alkimystika.com.br





domingo, 21 de outubro de 2012

Significado Esotérico dos Simbolos nas Mandalas



Ao analisar algumas Mandalas Artesanais, é possível verificar a presença de muitos símbolos conhecidos e que juntos criam uma vibração própria, mas que, individualmente estão inseridos em uma simboligia universal.

A seguir, a simbologia esotérica de algumas formas muito utilizadas:



Círculo




Arquétipo da totalidade e da eternidade. Representa a perfeição divina e perpetuidade de Deus. O círculo ou disco é emblema de tipo solar. Junto à roda e à esfera, simboliza também o dinamismo psíquico, o mundo manifestado, a unidade interna da matéria, tudo que é preciso e regular; a harmonia universal. Simples: o infinito, o universo, a totalidade; com ponto no cento: a primeira manifestação do princípio criativo divino; dividido (por uma reta horizontal): a primeira divisão do Princípio Divino em duas polaridades opostas e complementares (masculina e feminina); com cruz no interior: o momento da criação, quando o princípio masculino impregna o feminino; com triângulo no interior: o princípio espiritual ou ternário dentro da totalidade; com quadrado no interior: o princípio material ou quaternário dentro da totalidade.




Coração



Um dos mais importantes e universais símbolos esotéricos. Verdadeira sede da inteligência, já que a ele corresponde o cálido e luminoso Sol (ao cérebro corresponde a luz fria e refletida da Lua). Por outro lado, a importância do amor, na mística, reside no fato de que ele se expressa por meio do coração. Amar é acionar a força de um centro (o coração), o qual estimula e impulsiona os outros centros. Dessa forma, o coração é o símbolo magno do amor, iluminação espiritual e felicidade.




Cruz



Em todas as culturas, seu significado arquetípico é o da união dos opostos: o eixo vertical (masculino) e o eixo horizontal (feminino). No cristianismo, é o emblema máximo. Para a teosofia, traz a idéia do homem regenerado, aquele que conseguiu integrar harmoniosamente suas duas partes e que, “crucificado” como mortal, renasce como imortal. Na simbologia rosa-cruz, evoca os quaro reinos da natureza. Como símbolo da “Árvore da Vida”, representa o “eixo do mundo”: a ponte ou escada através da qual a alma pode chegar a Deus.




Espiral



Um dos mais importantes símbolos universais, a espiral representa o arquétipo do cosmos, e simboliza o processo evolutivo do universo. No sistema hieroglífico egípcio, a espiral denota as formas cósmicas em movimento, ou a relação entre a unidade e a multiplicidade, entre o centro e o círculo.




Pentagrama



imagem extraída do site Teoria da Conspiração
Símbolo de Vênus, rege o feminino. (Observando o céu e anotando a posição da “Estrela Matutina” durante 8 anos, o traçado do chamado “período sinódico” de Vênus forma um Pentagrama [período sinódico é o tempo que um planeta leva para retornar a uma mesma posição em relação ao sol por um observador na Terra – observe o desenho ao lado]).

Também é símbolo do microcosmo, revelando a sua analogia e identidade com o universo ou macrocosmo. Suas cinco pontas representam: a superior, a cabeça, as laterais, os dois braços; as inferiores, as duas pernas. Esta é uma postura que procura refletir, em termos de estado de consciência, um equilíbrio ativo e a capacidade de compreensão que deve possuir cada homem para transformar a si mesmo num centro irradiante de vida “como uma estrela no firmamento”. Esta figura geométrica pentagonal representa também um cânone estético arquetipal denominado “divina proporção”. Como fonte de luz e inspiração celestial, a estrela de cinco pontas é considerada, esotericamente, emblema do princípio inspirador do bem, do verdadeiro e do belo, tanto no mundo como no homem.





Flor



Em muitas escolas esotéricas a flor simboliza a fugacidade das coisas, a beleza e a primavera. No Oriente, pela sua forma mais comum, a flor representa também os “centros energéticos espirituais”, os chacras. O conceito da “flor de ouro”, na mística chinesa, é um símbolo transcendental taoísta que alude à vitória espiritual.




Labirinto



O centro do labirinto representa a consciência superior, a realidade absoluta, a imortalidade, a divindade; os caminhos tortuosos que vedam quase completamente o seu acesso simbolizam as provas e dificuldades pelas quais deve passar todo aquele que pretende chegar até o “centro de si mesmo”, ou seja, a consciência superior. O simbolismo do labirinto está ligado ao simbolismo da espiral. Nesse sentido, o centro, ou ponto inicial interno da espiral, representa o princípio único, imóvel. As curvas da espiral simbolizam o universo manifestado em constante movimento.




Hexagrama



Símbolo universal do espírito. Esotericamente, a aparição de uma estrela simboliza o aparecimento de uma possibilidade de realização espiritual.




Números

O número de ordem pelo qual o mundo existe. O número implica forma, som e vibração, e subjaz na raiz do universo manifestado. Junto com as proporções harmônicas, dirige as primeiras diferenciações da substância homogênea em elementos heterogêneos e põe limite à mão formativa da natureza. Os números representam “idéias-forças”, cada um com forma, sentido, individualidade e caráter próprios, e a numerologia (ciência dos números) contém a chave de todo o sistema esotérico. Esta chave é aplicável a todo o universo, tanto às hierarquias criadoras como ao homem e ao mundo.
O significado simbólico dos números está ligado à seqüência numérica:
Zero – a eternidade, o “não ser”; oposto e reflexo da unidade, representa tudo que existe em estado latente e potencial.
Um – o princípio ativo, o Sol ou a primeira manifestação da energia criadora. Representa também a unidade espiritual.
Dois – o pólo feminino (a Divina Mãe) em contraste com o número um (o Divino Pai).
Três – a síntese espiritual, representando a tríade divina no processo de sua manifestação.
Quatro – símbolo da terra, da situação humana, dos quatro elementos da natureza, das quatro estações do ano e dos quatro pontos cardeais.
Cinco – o número do homem, o quinto elemento agindo sobre os quatro elementos da matéria.
Seis – o equilíbrio, a união do espírito e da matéria; a união dos triângulos positivo e negativo, formando a estrela de seis pontas.
Sete – o número da ordem perfeita, resultado da união do ternário (espiritual) e do quaternário (material).
Oito – símbolo do Logos ou do poder criativo universal e do equilíbrio dinâmico entre as duas forças opostas (masculina e feminina).
Nove – o número simbólico da humanidade e o número-raiz do presente estado de evolução humana.
Dez – o retorno à unidade e, ao mesmo tempo, a união final e o recomeço. É a totalidade do universo.
Onze – símbolo da transição, de excesso e de perigo.
Doze – símbolo da ordem cósmica e da salvação.
Treze – morte e renascimento, mudança e retomada após o final.




Om



Sílaba sânscrita, hinduísta, de invocação, afirmação e bênção solene. É composta de três letras: a-u-m, que simbolizam os três vedas principais e os três níveis de consciência, de acordo com a concepção hindu. É também símbolo monossilábico da Trimurti (a tríade hinduísta, composta de Brahma, Shiva e Vishnu). O om é considerado o mais importante de todos os mantras (palavras ou sons que contêm
poder mágico ou espiritual), e seu valor está contido tanto na própria idéia que representa como no seu poder fonético ou vibracional.




Ouroboros



Importantíssimo símbolo esotérico, cuja origem se perde no tempo, e que é representado por uma serpente que morde a própria cauda, significando que “todo começo contém em si o fim, e todo fim contém em si o começo”. No seu sentido mais geral, o ouroboros é símbolo do tempo e da continuidade da vida. Pela sua forma circular, representa também o movimento perpétuo e de trajetória circular ou curva que caracteriza toda manifestação no universo. É emblema ainda do caráter cíclico de toda manifestação.




Pirâmide




O estudioso Cirlot informa que existe uma aparente contradição no simbolismo da pirâmide. Em primeiro lugar, nas culturas megalíticas e no primitivo folclore europeu, a pirâmide simboliza a terra em seu aspecto maternal. As próprias modernas árvores de Natal, herdeiras de uma antiqüíssima tradição, expressam, com sua forma piramidal, a dupla idéia de morte e imortalidade (ambas associadas ao conceito da Grande Mãe, a Terra). Por outro lado, a pirâmide de pedra, arquitetada com uma regular exata forma geométrica, corresponde ao elemento fogo, masculino, em todas as culturas antigas do Oriente. A interpretação mais completa a respeito do simbolismo da pirâmide foi dada por um outro estudioso, Marc Saunier. Ele sugeriu que a pirâmide é uma síntese de diferentes formas, cada uma delas com uma significação própria. A base da pirâmide é quadrada e representa a Terra (os quatro elementos da natureza). O ápice é “o ponto final” e o “ponto inicial” de todas as coisas, o “centro místico”, a divindade. Estabelecendo a ligação entre a base e o ápice, estão as faces triangulares da pirâmide, simbolizando o fogo como revelação divina e como princípio da criação. Conseqüentemente, a pirâmide é interpretada como um símbolo que expressa a totalidade do trabalho em seus três aspectos essenciais.




Quadrado



Símbolo da matéria e da passividade. Seus lados representam os elementos da natureza (água, fogo, terra e ar) ou os quatro pilares da sabedoria humana (ciência, religião, filosofia e arte).




Roda




Símbolo universal, complexo, e de origem tão antiga quanto o próprio homem. Seu sentido mais arquetipal está relacionado com os fenômenos das forças cósmicas em movimento. O símbolo taoísta chinês do Yin-Yang está relacionado com o significado da roda e a doutrina do Tao exprime que “o sábio perfeito é aquele que alcançou o ponto central da roda e permanece assim unido ao centro invariável”.




Roda da Vida



Um dos mais freqüentes símbolos do budismo tibetano, onde é usado em pinturas e em diagramas desenhados ou gravados. Representa a série de nascimentos, mortes e renascimentos do homem, mostrando, no círculo exterior, as fases da vida humana, causas do renascimento (lei do carma).




Rosa



Possivelmente a mais importante das flores simbólicas para o homem ocidental. Exprime o desenvolvimento do espírito, e está identificada com todas as expressões que denotam tal significado. A rosa está associada à idéia de regeneração, fecundidade e pureza.




Selo de Salomão



Duplo triângulo eqüilátero entrelaçado, ou então a estrela de seis pontas. Este símbolo é freqüentemente representado com um triângulo de cor branca e outro de cor negra.
Trata-se de um diagrama de profunda significação oculta, simbolizando, entre outras coisas, a união do espírito com a matéria.




Sol



Ponto focal de nosso sistema planetário, o Sol é símbolo material-espiritual por excelência da divindade. Sua luz pode ser considerada como a manifestação visível do Deus criador, sustentador e conservador de todas as formas de vida. O Sol é também emblema do Ser Real Interno de cada homem, da vitalidade, da vontade e dos sentimentos nobres como a lealdade.




Traço



Um dos símbolos gráficos básicos. Vertical: o princípio ativo (masculino) ou dinâmico; horizontal: o princípio passivo (feminino) ou estático.




Triângulo



Esta figura geométrica tem importante valor simbólico em muitas religiões e escolas esotéricas, representando a Trindade divina: a harmonia, a perfeição e a sabedoria. Eqüilátero: as tríades divinas ou o perfeito equilíbrio entre os três aspectos da Divindade; isósceles positivo (ápice para cima): o ternário evolutivo ou anseio do espírito em se libertar da matéria; isósceles negativo (ápice para baixo): o ternário involutivo ou o princípio espiritual que penetra e vivifica a matéria.




Yin-Yang



Símbolo chinês da distribuição dual das forças universais, compreendendo o princípio ativo ou masculino (Yang) e o feminino ou passivo (Yin). Este símbolo tem a forma de um círculo dividido por uma linha sigmóide, e as duas partes assim formadas possuem, quando observadas, uma tendência dinâmica, o que não seria possível se o círculo fosse dividido por uma linha reta (diâmetro). Na representação gráfica desse símbolo, a metade clara representa o Yang, e a escura, o Yin. Contudo, a primeira apresenta em seu interior um ponto negro, e a segunda, um ponto branco, significando que ambas possuem, em si mesmas, o germe do princípio contrário.




Namastê!
visite nossa loja virtual,
mais de mil artigos esotéricos:
www.alkimystika.com.br

Quem são os Kahunas?




Os kahunas são sacerdotes havaianos que há 5 mil anos praticam a magia Huna - A Ciência do Bem Viver.
Esta filosofia mostra que o mundo e a vida se transformam conforme nossos Desejos e nossas Ações.
O Princípio desta filosofia se resume na palavra ALOHA.
na linguagem havaiana ALOHA significa
" Os Jubilosos Compartilham A Energia Vital No Presente".
Ou seja: Todos nós possuímos aqui e agora, a energia necessária a realização dos nossos objetivos.
Portanto mais que uma filosofia , ALOHA é uma técnica simples e eficaz que nos permite manifestar nosso poder interior em todos os aspectos da nossa vida.

AQUELES QUE DETEM O SEGREDO !

"Dono do segredo", "transmissor do segredo", "perito que faz", não necessariamente havaiano.
Um kahuna é um xamã que mergulha na vida com sua mente e sentidos, desenvolvendo o papel de co-criador. Os antigos kahunas viviam em pequenas comunidades e aprendiam principalmente como lidar com fenômenos naturais, dominar os ventos, como fazer chover, pois dependiam desses fenômenos para sobreviver.
Hoje vivemos em uma aldeia global e os "kahunas-urbanos tem uma tarefa especial que é a de manter uma vida saudável e harmoniosa no convívio social.


Aloha!
visite nossa loja virtual,
mais de mil artigos esotéricos:
www.alkimystika.com.br

O Segredo Huna Revelado




O Segredo é este : Abençoem todos e tudo que representem o que vocês desejam. É só isso.

No entanto, qualquer coisa tão simples assim requer alguma explicação.

Abençoar algo significa reconhecer ou dar ênfase a uma qualidade, característica ou condição positivas, com a intenção de que aquilo a que se reconhece ou enfatiza venha a crescer, perseverar (persistir) ou vir a ser.

Em primeiro lugar: o foco positivo de sua mente mexe com a força positiva,criativa, do Poder.

Segundo: move a sua própria energia para fora, permitindo que uma parte maior do Poder passe através de vocês.

Terceiro: quando vocês proferem bênçãos para o benefício de outros, ao invés de o fazerem para si mesmos, há a tendência de se ultrapassar quaisquer
medos subconscientes a respeito do que se deseja para si mesmo; e, também, o próprio foco em si sobre os atos de abençoar faz com que o mesmo bem aumente na própria vida.

A beleza desse processo é que a bênção proferida em favor de outros ajuda a estes, bem como a vocês mesmos.

As bênçãos podem ser proferidas com a ajuda de visualização ou toque; porém, a maneira mais comum e fácil de fazê-lo é através de palavras.

Os principais tipos de bênçãos verbais são:

ADMIRAÇÃO: Trata-se do ato de cumprimentar ou louvar algo bom que se note.
Ou seja, "Que belo pôr-do-sol; gosto de seu vestido; você é tão divertido".

AFIRMAÇÃO: Trata-se de uma declaração específica de bênção para aumento ou continuação do estado descrito: "Abençôo a beleza desta árvore; abençoada
seja a saúde de seu corpo".

APRECIAÇÃO: Trata-se de uma expressão de gratidão a respeito de algo bom que existe ou que tenha ocorrido: "Obrigado, Deus, por me haver ajudado;
agradeço à chuva por nutrir a terra".

EXPECTATIVA: Trata-se de uma bênção para o futuro: "Teremos um ótimo piquenique; abençôo sua renda sempre crescente; obrigado(a) pela(o) minha(meu) companheira(
o) perfeita(o); desejo-lhe uma ótima viagem; que o vento sopre sempre a seu favor."

A fim de se obter o maior benefício possível de uma bênção, vocês terão de desistir ou renunciar à única coisa que a anula: o ato de amaldiçoar. Isto não se refere a palavrões, mas ao oposto da bênção; ou seja, criticar, ao
invés de admirar; duvidar, ao invés de afirmar; culpar, ao invés de apreciar; e se preocupar, ao invés de aguardar com confiança.

Quando quer que tais atitudes sejam tomadas, elas tendem a cancelar alguns dos efeitos da bênção. Assim, quanto mais vocês amaldiçoarem, mais difícil e demorado será obter bons resultados da bênção. Por outro lado, quanto mais der bênçãos, menos mal farão as maldições.

O que é o Espírito ALOHA

O espírito de ALOHA é a coordenação da mente do Verdadeiro Ego, Coração e Alma manifestados, emitindo pensamentos, emoções e sentimentos bons, e compartilhando bondade com outros, através dos anos, os nativos havaianos nos transmitem quanto o valor das letras que formam a palavra ALOHA ajudam-nos a lembrarmos sempre o seu verdadeiro significado:

A - AKAHAI (ah kah hai´)
Significa bondade, para ser expressado com ternura: oferecimento cuidadoso, bondade, despretensioso, modéstia, moderado e ternura.

L - LÔKAHI (LOH'kah hee)
Significa unidade, para ser expressado com harmonia: obter unidade, acordo, uníssono e harmonia.

O - OLU'OLU (oh'loooh'loo)
Significa agradável, para ser expressado com afabilidade: esfria - enquanto refresca, agradável, afabilidade, amabilidade, satisfação, felicidade, comgenialidade e cordialidade.

H - HA'AHA'A (hah'ah hah'ah)
Significa humildade, para ser expressado com modéstia: baixo, humildade, extinguir o ego e modéstia.

Na verdade o espírito ALOHA é ineficaz e muito maior se for descrito em palavras, pois, ALOHA pode ser experimentado como um pôr-do-sol ou um Deus,

ALOHA é uma palavra que se põe íntima, dentro de cada um de nós.
Em resumo ALOHA também pode ser definido como LOKOMAIKA'I (loh koh mai'kah ee) que significa:

BEM INTERIOR, FAZER O BEM, BOA DISPOSIÇÃO, GENEROSIDADE, GRAÇA, HUMANIDADE, BENEVOLÊNCIA E BENEFICÊNCIA.


Aloha!
visite nossa loja virtual,
mais de mil artigos esotéricos:
www.alkimystika.com.br

Oração Kahuna do Perdão





Esta oração pode ser feita por aqueles que desejam perdoar aos outros e a si próprios.
Possui uma energia poderosa de liberação e paz. Fale-a de preferência em voz alta e repita-a quantas vezes for necessário.

Buscando eliminar todos os bloqueios que atrapalham minha evolução, dedicarei alguns minutos para perdoar.
A partir deste momento, eu perdôo todas as pessoas que de alguma forma me ofenderam, injuriaram, prejudicaram ou causaram dificuldades desnecessárias.
Perdôo, sinceramente, quem me rejeitou, odiou, abandonou, traiu, ridicularizou, humilhou, amedrontou, iludiu.

Perdôo, especialmente, quem me provocou até que eu perdesse a paciência e reagisse violentamente, para depois me fazer sentir vergonha, remorso e culpa inadequada.
Reconheço, que também fui responsável pelas agressões que recebi, pois várias vezes confiei em indivíduos negativos, permiti que me fizessem de bobo e descarregassem sobre mim seu mau caráter.
Por longos anos suportei maus tratos, humilhações, perdendo tempo e energia, na tentativa inútil de conseguir um bom relacionamento com essas criaturas.

Já estou livre da necessidade compulsiva de sofrer, e livre da obrigação de conviver com indivíduos e ambientes tóxicos.
Iniciei agora, uma nova etapa de minha vida, em companhia de gente amiga, sadia e competente: quero compartilhar sentimentos nobres, enquanto trabalhamos pelo progresso de todos nós.

Jamais voltarei a me queixar, falando sobre mágoas e pessoas negativas.
Se por acaso pensar nelas, lembrarei que já estão perdoadas e descartadas de minha vida íntima definitivamente.
Agradeço pelas dificuldades que essas pessoas me causaram, que me ajudaram a evoluir, do nível humano comum ao espiritualizado em que estou agora.

Quando me lembrar das pessoas que me fizeram sofrer, procurarei valorizar suas boas qualidades e pedirei ao Criador que as perdoe também, evitando que sejam castigadas pela lei da causa e efeito, nesta vida ou em outras futuras.
Dou razão a todas as pessoas que rejeitaram o meu amor e minhas boas intenções, pois reconheço que é um direito que assiste a cada um me repelir, não me corresponder e me afastar de suas vidas.


(Fazer uma pausa, respirar profundamente alguma vezes, para acúmulo de energia).

Agora, sinceramente, peço perdão a todas as pessoas a quem, de alguma forma, consciente e inconscientemente, eu ofendi, injuriei, prejudiquei ou desagradei.
Analisando e fazendo julgamento de tudo que realizei ao longo de toda a minha vida, vejo que o valor das minhas boas ações é suficiente para pagar todas as minhas dívidas e resgatar todas as minhas culpas, deixando um saldo positivo a meu favor.

Sinto-me em paz com minha consciência e de cabeça erguida respiro profundamente, prendo o ar e me concentro para enviar uma corrente de energia destinada ao Eu Superior.
Ao relaxar, minhas sensações revelam, que este contato foi estabelecido.

Agora dirijo uma mensagem de fé ao meu Eu Superior, pedindo orientação, em ritmo acelerado, de um projeto muito importante que estou mentalizando e para o qual já estou trabalhando com dedicação e amor. Agradeço de todo o coração, a todas as pessoas que me ajudaram e comprometo-me a retribuir trabalhando para o meu bem e do próximo, atuando como agente catalisador do entusiasmo, prosperidade e auto realização.
Tudo farei em harmonia com as leis da natureza e com a permissão do nosso Criador, eterno, infinito, indescritível que eu, intuitivamente, sinto como o único poder real, atuante dentro e fora de mim.




Assim seja, assim é e assim será.









Aloha!

visite nossa loja:


www.templodeluxor.com.br







Sete Principio Huna



IKE – “Você cria sua própria realidade” – Toda a vida que está ao seu redor foi criada por você e pelas dependências positivas ou negativas que mantém com o próximo seja ele quem for, e onde estiver, pois toda a relação decrescimento de um ser é dependente de outro ser e ela pode boa ou não.

KALA – “Você é ilimitado” – Sim, em todos os sentidos. No entanto as exigências energéticas para executar algo bom e proveitoso, são maiores d oque aquelas exigidas para executar o que é nocivo ou prejudicial.
Portanto,cuidado com seus Desejos e com suas Ações.

MAKIA – “Você tem aquilo no qual você se concentra.” Aonde estiver seu foco,estará seu Desejo, seu coração e sua mente. Makia trabalha diretamente com IKE, não obstante todos os princípios se unirem para serem um só.

MANAWA – “Seu momento de poder é agora.” Agora! Neste exato instante. E agora, novamente, neste mesmo instante; e de novo agora, neste outro instante. Aproveite portanto, para exercer KALA com responsabilidade.

ALOHA – “Amar é estar feliz” – Quem conseguir manter a felicidade poderá exercer IKE mais plenamente, executando MAKIA com maior facilidade.
Mas para amar, tem que ser amado. É a única exigência.

MANA – “Todo o poder vem do interior” – Está tudo aqui aqui dentro. As ferramentas e o poder, basta executar a captação de mana, na energização, por exemplo. E liberar a fraternidade PO´e Aumakuas. Não somos Deuses e responsáveis por nós mesmos ?

PONO – ” A eficácia é a medida da verdade” – Quanto mais verdadeiro for o teu ser, quanto mais responsabilidades reais tiveres sobre ti e o meio em que vives, quanto melhor as tuas qualidades pessoais, índole e natureza, mais eficiente serás como guardião do Segredo e aplicante dele.


Aloha!
visite nossa loja virtual,
mais de mil artigos esotéricos:
www.alkimystika.com.br